ANúNCIO DO SITE

Equilibrando-se entre duas turnês (uma acústica e outra mais completa), Paula Fernandes completa 25 anos de carreira neste ano. Ela segue com repertório que, assim como o das novas cantoras sertanejas, fala sobre relacionamentos. Tenham eles dado certo ou não. “Minha música é uma música de paixão, de sonho. Então não é sofrência, é pureza. Eu tenho esse perfil de pureza”, analisa ela, em entrevista ao G1.

“Sou aquela mulher que pegou uma foice, foi abrindo uma clareira enorme em uma mata que era alta, densa, de dificuldade de um mercado dominado por homens”, diz Paula, sobre ter ajudado gente como Marília Mendonça e Maiara & Maraisa.

“Isso só vem para fortalecer a imagem da mulher nesta fase de empoderamento, é isso mesmo que a gente quer. E eu levanto a bandeira de igualdade, não de detonar o homem, que acho que não tem necessidade. Porque independente do sexo, a gente tem que se respeitar”, conta.

E o que dizer das letras de hits que citam bebidas, motel e outros tópicos que passam longe de seu repertório? “Depende de como se fala do tema. Tem uns que são para maiores de 18 anos. Ainda me considero menor de 18 anos”, diz, rindo.

Mas, diz aí, sofrência e bebida combinam? “Não é muito minha vibe, não. Eu respeito, acho que cada um tem seu espaço e a criatividade também. Tem o público que curte, não tenho preconceito, não. Mas em vez de ir para o bar, eu vou pra casa”, explica, rindo de novo.

Paula Fernandes (Foto: Divulgação)

Paula, que tem musicais escritas com Victor e Zezé Di Camargo, conta nos dedos seus parceiros de composição. “É igual escolher pai para o filho. Não é qualquer pessoa. Eu componho com pouca gente. Mas claro que isso não impede que eu componha outras canções com outras pessoas. É muito legal esse contato. Tem que ter essa sintonia principalmente na linguagem. E a gente gosta de música de conteúdo.”

Carreira internacional?

Além da fase acústico, que deve dar origem a um DVD, 2017 também reforça a ideia de investir em parcerias com gringos. Ela já cantou com Juanes, Alejandro Sanz, Shania Twain e, neste ano, com o espanhol Pablo Lopez. Tantos encontros trouxeram histórias divertidas (veja mais no vídeo acima). A parceria mais polêmica, porém, foi a com o tenor Andrea Boccelli: Paula deixou de cantar parte da música no palco do show em São Paulo, no ano passado.

“Aquilo ali foi realmente as pessoas que distorceram uma situação, que para mim foi normal até certo ponto”, recorda. “Porque até então estava ensaiado de uma forma e acabou acontecendo diferente. Aí inventaram que eu não tinha cantado porque esqueci a letra, que estava muito emocionada… Na soma de tudo, foi bom. Mesmo porque eu cantei mais músicas, e ninguém falou. Muita gente acha que eu cantei uma música só. Aliás, a metade”, diz rindo.

Paula Fernandes (Foto: Eduardo Orelha/Divulgação)

Entre memes, boatos e redes sociais

Paula é fonte de inspiração para memes, seja por figurinos inusitados, letras de músicas ou batendo cabelo nos shows. “Sou campeã do meme”, brinca aos risos. “Eu me divirto, mas acho que tudo tem limite. O limite do respeito. Aquele do Teletubbies eu lembro que foi o melhor de todos. Como eu não percebi que estava a cara do Teletubbies? E realmente estava”, relembra.

Se memes arrancam risadas dela, o mesmo não se pode dizer sobre outro tema: boatos. “Menina, vou te falar… Uma vez, logo que as coisas começaram a acontecer para mim, em uma semana, me arrumaram cinco namorados de regiões e profissões diferentes no Brasil. Eu acho interessante porque não combina nem um pouco com a figura que todo mundo conhece. Me espanta as pessoas acreditarem. Porque eu sou caseira, discreta, pouco falo da minha vida pessoal e mesmo assim ainda pinta isso.”

Apesar do incômodo com esses e outros tipos de boatos, Paula diz que, com o tempo, lida melhor com essa situação. “Sei que estou exposta a partir do momento que sou pessoa pública. Tem gente que fica ali em busca da notícia, então acaba inventando. Acho ruim porque não tem necessidade. Tenho um trabalho que está sempre rendendo notícia. Vou da casa do trabalho, do trabalho para casa, não sou barraqueira. Então, talvez até essa discrição que incomode um pouco.”

Paula Fernandes (Foto: Eduardo Orelha/Divulgação)

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Paula Fernandes apresenta seu show Acústico – Voz e Violão no palco do Tom Brasil, em São Paulo, nesta sexta-feira, 17. Com repertório que mescla canções autorais e de artistas como Nando Reis, Kansas, Skank, Victor e Léo, Almir Sater entre outros, ela mostra sua versão mais intimista ao público.

“Eu nunca deixei o violão de lado. Sempre esteve comigo seja compondo, ensaiando, no palco… Agora vamos retomar essa parceria oficialmente com os shows acústicos. Estou muito animada!”, disse ela à CARAS Digital.

A intenção é percorrer todo o país em paralelo à turnê Amanhecer, de seu DVD mais recente.”A ideia neste show, menos é mais. É um formato diferente, em que poderei levar para mais lugares, em locais e cidades menores”, explica a cantora.

Veja o bate-papo!

– Como e quando surgiu a ideia de fazer esse show mais intimista?
Foi uma ideia que fomos amadurecendo. A ideia neste show, menos é mais. É um formato diferente, em que poderei levar para mais lugares, em locais e cidades menores. Tudo está sendo muito bem pensado para que seja mesmo algo mais intimista, mais próximo do público.

– Você sente saudade do tempo em que cantava em barzinhos só voz e violão?
Eu nunca deixei o violão de lado. Sempre esteve comigo seja compondo, ensaiando, no palco… Agora vamos retomar essa parceria oficialmente com os shows acústicos. Estou muito animada!

– Como foi a escolha do repertório?
O repertório confesso que não foi uma decisão fácil. Queria colocar diversas músicas. O show será para cima, temos muitas opções de música, unir estilos, posso cantar músicas internacionais, pop, rock… Acho que o público vai gostar e se surpreender.

– O show mais intimista tem a ver com sua fase atual – pós-término de relacionamento – ou já estava programado?
Já estava programado. Na minha carreira eu sempre soube dividir bem a vida particular com a profissional.

-Desculpe pelo clichê, mas como está ‘o coração’? Está aberto ao amor?
Está sim (risos).

Paula Fernandes (Orelha/Divulgação)

Paula Fernandes (Orelha/Divulgação)

Paula Fernandes (Orelha/Divulgação)

Paula Fernandes (Orelha/Divulgação)

Reprodução Via Caras

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Leo Dias entrevistou a cantora Paula Fernandes no bastidores do Desfile das Campeãs. A entrevista foi ao ar ontem(06/03) no Fofocalizando. Assista agora

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

O programa ‘Mais Caminhos’ entrevistou Paula Fernandes e Bruno e Marrone nos bastidores da gravação do DVD da dupla Zé Henrique e Gabriel, mas se você não tem problema que a gente te mostra. Assista agora a entrevista completa

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

O ano de 2016 não foi fácil em vários aspectos. E imagine para Paula Fernandes, que foi –na opinião dela– um dos alvos preferenciais dos sites de fofocas do país. “Eu ganhei o Grammy Latino de melhor álbum de música sertaneja e a notícia que saiu na imprensa foi sobre o meu pé não estar bronzeado na foto do tapete vermelho”, lembrou.

Em retrospectiva, 2016 foi mesmo um ano puxado para a artista. Na TV, ela virou notícia ao interromper uma apresentação no Faustão porque o violão estava desafinado. Nos palcos, foi criticada porque não cantou um trecho da música “Vivo Por Ella” no show de Andrea Bocelli. No lado pessoal, terminou o namoro de quatro anos. E no profissional, vários de seus shows foram cancelados por causa da crise.

Por outro lado, Paula levou o Grammy Latino, lançou o elogiado DVD “Amanhecer Ao Vivo”, foi escolhida a nova Rainha dos Caminhoneiros, além de ter contratado o personal stylist Eduardo Amarante. Depois dele, os figurinos da artista deixaram de ser notícia pelo mau gosto. “Estou só esperando inventarem outra coisa para me criticarem. Daqui a pouco vão dizer que eu estou usando muito cílios”, brincou. “Antes eu era mais desligada com moda. Agora, eu estou mais interessada nas tendências”.

Apesar dos percalços, a mineira de Sete Lagoas faz um balanço positivo do ano. “Tudo depende do nosso olhar para a vida. Não viemos nesse planeta de férias. Estamos aqui para evoluir e, por incrível que pareça, é na dificuldade que a gente aprende mais. O ano de 2016 foi de plantio e de muito trabalho. Foi um ano de maturidade na vida pessoal e de ajustes por causa da crise. Saio dele melhor do que entrei”.

Bem-humorada, Paula comentou sobre todas as dificuldades que enfrentou neste ano e garantiu que começará 2017 com o pé direito. “Meu comportamento foi impecável. Fui leal, dedicada e carinhosa com ele. Acho que entre erros e acertos, eu acertei mais. Eu fiz bem a minha parte, fui uma boa namorada”, afirmou.

UOL – O ano de 2016 foi puxado para você?

Paula Fernandes – Foi um ano de crise no mercado de shows e atingiu todos os artistas do meio. Vejo 2016 de forma positiva porque foi um ano de plantio pessoal. Lancei uma nova turnê e um DVD ao vivo e ganhei o Grammy Latino. Na vida pessoal, foi um ano de ajustes, já que todos crescemos com os problemas.

Por falar em Grammy Latino, você ganhou na categoria de melhor álbum sertanejo, mas as notícias que saíram só falavam que você não tomou sol no pé.

(Risos) É a valorização do fútil, né? Aquilo ali foi um reflexo da luz. O tom do meu pé está igual ao do meu braço. Como eu iria bronzear só as pernas no sol? Não tem sentido. As pessoas que criticaram nem viram a foto, leram o título e repetiram. Em uma outra premiação, do Emmy, disseram que eu estava com a maquiagem muito clara porque estouraram um flash no meu rosto. É sempre assim, já estou acostumada. O que importa é que eu ganhei o prêmio de melhor álbum.

Por outro lado, este ano pararam de criticar seu figurino. O que mudou?

Em novembro, Paula anunciou o fim do namoro com o Henrique do Valle Imagem: Wagner Santos/Photo Rio News- AG.Fred Pontes

Aguarde que logo vão inventar outra coisa para criticar na minha aparência. Vão dizer que eu estou usando cílios, você vai ver. O fato é que eu estou com um personal stylist novo, o Edu Amarante. Estou mais inteirada sobre a moda. Cortei meu cabelo. Fiz uma mudança de dentro para fora. Eu continuo vestindo o que eu gosto, mas estou curtindo conhecer as tendências. Antes eu era mais desligada. O importante é ser natural.

Por que alguns de seus shows foram cancelados neste ano?

Todos os artistas passaram por essa situação em 2016, mas só os meus cancelamentos ganharam essa publicidade toda. Na hora que o fã tem que escolher entre ver o show de seu artista favorito ou comprar a cesta básica da família, é lógico que ele vai escolher a cesta básica. Para mim, isso é natural. Em outros casos, o cancelamento partiu do próprio contratante, porque as estruturas dos shows são muito caras. Fizemos muitos shows corporativos. Minha música é eclética porque atinge desde a exposição agropecuária até o público corporativo. Não tenho do que reclamar.

Neste ano, você foi eleita a nova Rainha dos Caminhoneiros e disseram que você estava roubando o lugar da Sula Miranda. Ficou chateada?

Ninguém toma o lugar da Sula Miranda. Ela será eternamente a rainha dos caminhoneiros. Admiro demais o trabalho dela. Isso aí, foi outra dessas conversinhas. Alguém achou que dizer que eu estava ‘roubando o posto dela’ iria fazer algum barulho. Não tem nada disso. Eu me identifico com os caminhoneiros, vivo na estrada e passamos por perrengues semelhantes.

No Faustão, disseram que você soltou um xingamento quando percebeu que o violãoestava desafinado por causa do ar-condicionado. O que aconteceu?

Muito calor e muito frio desafina o instrumento de verdade. Não falei palavrão e ainda que tivesse falado, quem nunca falou um palavrão? Se eu tivesse falado, me desculparia. Eu parei para afinar o violão porque não vou tocar com ele desafinado, preferiria cantar a capela, se fosse o caso. Sou amiga do Faustão. Depois do programa, ele me chamou para comer uma pizza na casa dele.

Talvez a maior polêmica deste ano envolvendo você tenha sido sua apresentação com o Andrea Bocelli com as pessoas dizendo que esqueceu a letra.

Paula Fernandes ao lado do tenor Andrea Bocelli Imagem: Francisco Cepeda /AgNews

Foi outra coisa que ninguém entendeu. As informações saem lagartixa e chegam jacaré. A lição que eu aprendi foi: existe uma perseguição ao nome de Paula Fernandes. Eu cantei três músicas com ele e não esqueci a letra porque eu tinha uma colinha na minha frente. Eu não cantei aquele trecho porque eu não alcanço aquele timbre de voz. Eu disse para o maestro que aquilo lá era para a Sandy, que é soprana. Eu não sou. Me explicaram na noite anterior que uma cantora cantaria aquela parte. Na hora do show, me avisaram que ela não cantaria. Eu fiz apenas uma pergunta: ‘O Andrea sabe?’. E ele não sabia. Foi falta de comunicação. É muito fácil dizer que eu esqueci a letra, que eu errei ou que eu fiquei nervosa. Mas ninguém imaginou que poderia ter ocorrido uma falha de comunicação.

Você acha que o término do seu namoro de quatro anos foi algo positivo ou negativo em 2016?

Não foi negativo. Seria hipócrita da minha parte dizer que fiquei feliz com o fim, mas foram quatro anos e alguns meses muito bons. O balanço que eu faço do meu comportamento é que ele foi impecável. Fui leal, dedicada e carinhosa. Entre erros e acertos, eu acertei mais. Fui uma boa aluna e uma boa professora. Do lado de lá, não posso dizer, porque eu não sei. Sou uma boa namorada (risos).

E como você termina 2016?

Estou tranquila, super de boa. Não viemos nesse planeta de férias. Estamos aqui para evoluir e por incrível que pareça, é na dificuldade que a gente aprende mais. O ano de 2016 foi de plantio e de muito trabalho. Foi um ano de maturidade na vida pessoal e de ajustes por causa da crise. Saio dele melhor do que entrei.

Reprodução Via UOL

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

“Rola uma perseguição pesada comigo”, desabafa a cantora

Paula Fernandes e Andrea Bocelli durante a apresentação que deu o que falar na internet (Foto: Divulgação)

 

(mais…)

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Tem playlist nova no Spotify, mas agora não é com as músicas que estamos acostumados a ouvir mas sim com uma entrevista exclusiva que a cantora deu para o Spotify. (mais…)

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Se hoje a música sertaneja vive uma “invasão feminina”, com o surgimento de novas cantoras a todo momento, há pelo menos dez anos um nome se mantém firme entre as artistas de sucesso que conseguiram um espaço no gênero, que sempre foi predominantemente masculino.

Paula Fernandes, 31 anos, é prova viva de que as mulheres também podem ter seu lugar no mundo da moda de viola. Com um talento e beleza que se completam, ela se prepara para o pontapé inicial de mais um projeto dia 30 de setembro, com o lançamento do DVD “Amanhecer – Ao Vivo”. Em entrevista exclusiva para o Conceito Sertanejo, Paula falou sobre o momento de sua carreira. Confira: (mais…)

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Em sua passagem com a turnê “Amanhecer” por Portugal, Paula conversou com o “Fala Portugal”. Confira:

 

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas

Hedmilton Rodrigues do site Movimento Country entrevistou com exclusividade a cantora Paula Fernandes, que contou tudo sobre a gravação do seu novo DVD Amanhecer, que será gravado em São Paulo nos dias 15 e 16 de abril. Confira:

Postado por: Click Paula Fernandes
MARCADO EM: Entrevistas
Click Paula Fernandes - somes rights reserved 2016 • hosted by: Flaunt.NU • design by: Print Creative